Conexão Xalingo – Blog

Tag - robótica na educação

Você sabe o que é robótica educacional e quais seus benefícios? Descubra

A professora Débora Garofalo explica a robótica educacional e como incluí-la nas aulas.

Se a sala de aula tradicional conta com lousa, giz, mesas e cadeiras,  a sala de aula que inova agora conta com martelos, parafusos, furadeiras e componentes eletrônicos. E a principal atividade, propõe o professor, agora não é mais a temida prova. Ela dá lugar à construção de um protótipo – com uma finalidade específica, que desperte a curiosidade da turma e se envolva com a aprendizagem ao possibilitar que o estudante seja o centro do processo educacional. O nome desta aula é robótica educacional.

A sua utilização, como estratégia, vem crescendo na educação brasileira e traz soluções inovadoras como o learning by doing (em tradução literal, aprender fazendo e que refere-se a uma teoria da Educação do filósofo americano John Dewey. Ele teorizou que a aprendizagem deveria ser relevante e prática, não apenas passiva e teórica. Ele implementou essa ideia instalando a Escola de Laboratórios da Universidade de Chicago. Suas visões têm sido importantes no estabelecimento de práticas de educação progressista).

O que é a robótica educacional?

Na robótica educacional são mesclados ambientes de aprendizagem que reúnem materiais não estruturados (que podem ser sucata) e ou kits de montagem. Esses kits são compostos por diversas peças, motores, sensores, controlados por uma placa com software que permite programar o funcionamento dos modelos montados. Ambos garantem ao aluno a oportunidade de desenvolver sua criatividade com a montagem de seu próprio projeto. 

O que a robótica educacional favorece

Na Educação, a robótica educacional tem por objetivo desenvolver o raciocínio e a lógica na construção de algoritmos e programas para controle de mecanismo. É um projeto que favorece o planejamento e a organização de projetos, motiva o estudo e a análise de mecanismos existentes e estimula a criatividade nos diferentes segmentos da construção do conhecimento.

Ao experienciar a robótica, o aluno desenvolve sua capacidade de solucionar problemas, utilizando a lógica de forma eficiente, compreendendo conceitos das diversas áreas do conhecimento e exercitando-os na prática.

E você, professor(a): já utiliza a robótica educacional em suas aulas? Comente abaixo o que acha dessa inovação!

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/12586/tecnologia-na-educacao-como-enriquecer-o-curriculo-com-a-robotica

Esta jovem está mudando a realidade da sua localidade com a educação e tecnologia

Betelhem Dessie tem 20 anos e é moradora da Etiópia. A sua pouca idade não foi empecilho para se tornar uma das pioneiras do setor de tecnologia do seu país.

Dessie começou a programar aos dez anos e, nos últimos três, já patenteou softwares. O conhecimento que adquiriu, ela não guarda só para si: ela é CEO do Anyone Can Code (ACC ou “Qualquer um pode programar”), um programa que faz parte do iCog, principal centro de inteligência artificial do país.

No ACC, Dessie tem viajado por toda a Etiópia ensinando jovens de idade escolar os fundamentos da programação e robótica. Suas oficinas já alcançaram mais de 20 mil crianças e adolescentes.  Nos países desenvolvidos, lembra Dessie, o já amplo mercado de inteligência artificial, robótica e tecnologia “cria um conforto ou uma conveniência”. Enquanto isto, na África, os envolvidos no setor buscam “solucionar necessidades básicas”.

A jovem lembra ter pedido dinheiro ao pai para celebrar seu aniversário de nove anos. Ocupado, o pai não lhe deu ouvidos. Ela então tentou outra estratégia: fez um acordo. Se conseguisse ganhar algum dinheiro com o computador que o pai tinha em sua loja, ela poderia ficar com o lucro e gastar em sua celebração.

Dessie acumulou US$ 90 (R$ 350) com um serviço em que fazia listas de música para o celular de clientes e editava vídeos. O feito ganhou a imprensa local e a tornou famosa em sua cidade natal, Harar, município de 150 mil habitantes no Leste da Etiópia. “Acho que ainda sou [famosa lá]”, conta a jovem rindo.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte:
https://g1.globo.com/educacao/noticia/2019/07/24/a-jovem-pioneira-que-ensinou-programacao-para-milhares-de-pessoas-na-etiopia.ghtml

Esta professora recuperou o interesse dos alunos através da tecnologia

Quando esta professora assumiu uma turma de 4º ano, se assustou com o pouco conhecimento que os alunos tinham das matérias. Mas ela teve uma ideia que fez alunos que antes tiravam 3, agora tirassem 9. Confira!

Paula Gerarduci é professora na Escola Municipal Irmã Maria Eufrásia Torres, em São José dos Pinhais/PR. Entre todos os trabalhos que já realizou na escola, está a participação no programa “Mais Educação”, criado pelo governo federal e que amplia a jornada escolar e a organização curricular na perspectiva da educação integral.

Após experiência nesse programa, Paula começou a lecionar para uma turma de quarto ano do ensino fundamental que tinha sérias dificuldades de aprendizagem, como leitura, escrita e simples contas matemáticas. A solução encontrada pela professora foi de sucesso: levar inovação para dentro da sala de aula.

Tecnologia em sala de aula

Assim que Paula apresentou a ideia para os seus alunos, imediatamente eles iniciaram o processo de busca por estratégias para implementar a inovação nas aulas, uma vez que a escola não tinha muitos recursos e a renda da comunidade local era baixa. Depois de muito pesquisarem, os alunos deram a ideia de utilizar carregadores de celular como fonte de energia para os projetos de robótica.

Como a realidade vivida por essas crianças é de poucas perspectivas, a professora começou a trabalhar com os alunos a ideia de empreender e pensarem em uma profissão. “Acho essencial que eles saibam que os protótipos e brinquedos que estão construindo nas atividades de robótica podem ser considerados uma verdadeira produção.”, diz Paula.

Para iniciar tudo, o primeiro passo foi pensar em algum objeto que queriam construir. A partir dessa ideia, a segunda etapa consistiu em desenhar. Aqui é considerada toda a parte estética do protótipo porque a ideia é que ele possa ser vendido depois. Por último, veio a construção. Quando eles precisavam mudar a forma de fazer um motor funcionar, Paula passava dias e noites vendo vídeos até conseguir uma alternativa para ajudar as crianças.

Robótica

A parte da robótica se iniciou quando a turma de Paula participou de uma feira em São José dos Pinhais/PR e muita gente passou a conhecer o trabalho desenvolvido. A comunidade ficou impressionada porque era uma produção feita por crianças e totalmente pensada para brincar.

A turma também produziu programas de rádio para trabalhar vários gêneros textuais. Para todas essas inovações que implementou em sala de aula, a professora recorreu a recursos gratuitos como o editor de áudio Audacity e o Scratch, linguagem de programação para crianças criada pelo Media Lab do MIT.

Além dessas metodologias, Paula ainda utilizou a gamificação como uma aliada e combinou com os alunos atividades que eles deveriam desenvolver para pontuar. Se eles produzissem tudo durante a semana, usariam uma nova tecnologia na sala de aula.

O resultado, Paula descreve: “Deu certo. Foi muito bacana ver o potencial e a motivação das crianças. Todos os dias eles queriam fazer alguma coisa diferente. Para uma turma que tinha dificuldade, os alunos terminaram o ano com mais facilidade para ler e escrever, fazer as operações matemáticas e resolver situações problemas. O nível de reprovação foi baixíssimo. No livro de notas, teve aluno que estava tirando 3 e passou a tirar 9. Isso é muito gratificante. Isso me motiva a cada dia buscar e levar mais inovações para eles.”.

E você, professor(a)? Também já utilizou a tecnologia em sala de aula? Gostou dessa história de inovação? Comente abaixo e nos diga o que achou!

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCEu_wTApB06msiH5SXQ-JRg

Fonte: http://porvir.org/com-inovacao-turma-de-fundamental-avanca-em-leitura-e-matematica/

Você sabe o que é robótica educacional e quais seus benefícios? Descubra aqui!

A professora Débora Garofalo explica a robótica educacional e como incluí-la nas aulas.

Se a sala de aula tradicional conta com lousa, giz, mesas e cadeiras, a sala de aula que inova agora conta com martelos, parafusos, furadeiras, componentes eletrônicos. E a principal atividade propõe o professor agora não é mais a temida prova. Ela dá lugar à construção de um protótipo – com uma finalidade especifica, que desperte a curiosidade da turma e se envolva com a aprendizagem ao possibilitar que o estudante seja o centro do processo educacional. O nome desta aula é robótica educacional.

A sua utilização, como estratégia, vem crescendo na educação brasileiro e traz soluções inovadoras como o learning by doing (em tradução literal, aprender fazendo e que refere-se a uma teoria da Educação do filósofo americano John Dewey. Ele teorizou que a aprendizagem deveria ser relevante e prática, não apenas passiva e teórica. Ele implementou essa ideia instalando a Escola de Laboratórios da Universidade de Chicago. Suas visões têm sido importantes no estabelecimento de práticas de educação progressista).

O que é a robótica educacional?

Na robótica educacional são mesclados ambientes de aprendizagens que reúnem materiais não estruturados (que podem ser sucata) e ou kits de montagem. Esses kits são compostos por diversas peças, motores, sensores, controlados por uma placa com software que permite programar o funcionamento dos modelos montados. Ambos garantem ao aluno a oportunidade de desenvolver sua criatividade com a montagem de seu próprio projeto.

O que a robótica educacional favorece

Na Educação, a robótica educacional tem por objetivo desenvolver o raciocínio e a lógica na construção de algoritmos e programas para controle de mecanismo. É um projeto que favorece o planejamento e organização de projetos, motiva o estudo e análise de mecanismos existentes e estimula a criatividade nos diferentes segmentos da construção do conhecimento.

Ao experienciar a robótica, o aluno desenvolve sua capacidade de solucionar problemas, utilizando a lógica de forma eficiente, compreendendo conceitos das diversas áreas do conhecimento e exercitando-os na prática.

E você, professor(a): já utiliza a robótica educacional em suas aulas? Comente abaixo o que acha dessa inovação!

Créditos da imagem: Getty Images

Fonte: https://novaescola.org.br/conteudo/12586/tecnologia-na-educacao-como-enriquecer-o-curriculo-com-a-robotica