Conexão Xalingo – Blog

Tag - redes sociais na sala de aula

Como usar o Skype em sala de aula e deixar o conteúdo ainda mais interessante

A gente já falou aqui no blog como as redes sociais podem ser aliadas no ensino e que essas ferramentas, que estão no dia a dia dos nossos alunos, podem render bons debates e abrir os horizontes para tornar a aula ainda mais dinâmica e interessante.

O Skype, ferramente onde é possível conversar em tempo real com qualquer pessoa em qualquer lugar do planeta, também pode ser uma forma bem bacana de deixar o conteúdo mais rico e interessante para os alunos, sempre ligados nas novidades tecnológicas.

As conversas pelo Skype podem ser em vídeo e o recurso é muito usado em videoconferências, mas também podem ser usadas nas escolas pelos professores, tornando a aula mais dinâmica para os alunos.

Sabendo disso, separamos a seguir 4 dicas para usar o Skype em sala de aula. Confira abaixo:

1 – Conecte com alunos de outros países

Uma maneira interessante de usar o Skype durante as aulas é conectar com alunos estrangeiros. Como professor, você pode tentar conseguir um contato de uma universidade ou escola fora do país e propor uma conversa em vídeo entre a turma internacional e os seus alunos. No caso de uma aula de idiomas, por exemplo, isso pode contribuir para treinar a conversação e o vocabulário dos estudantes.

2 – Converse com outros professores

Você pode usar as videoconferências para conversar com outro professor ou com um especialista em determinado assunto durante a aula. Assim, você pode engajar mais os estudantes sobre o assunto discutido, fazendo com que eles participem ativamente das atividades. Nessa hora, você pode usar a sua rede de contatos, perguntando se algum colega seu toparia participar dessa conversa.

3 – Faça atividades com outras turmas

O Skype também pode ser ótimo para conectar as turmas, seja da mesma série/ano ou da mesma instituição de ensino, mas de níveis diferentes. Você pode promover atividades conjuntas entre as classes, tornando as discussões sobre o projeto mais práticas, já que os alunos não precisarão se locomover sempre que tiverem que conversar entre si.

4 – Incentive os alunos mais tímidos

As conversas em vídeo podem funcionar para aumentar a participação dos alunos mais tímidos e reservados. Muitos estudantes costumam não se sentir confortáveis ao falar em público e podem ter grande dificuldade em apresentar um trabalho para a sala, por exemplo. Nesse caso, você pode propor que eles apresentem seus projetos via Skype, caso se sentirem mais à vontade. Isso pode até mesmo torná-los mais corajosos para apresentações futuras.

Fonte: Universia

Maneiras criativas de usar as redes sociais na sala de aula

Não há como negar que a Internet está inserida na rotina de crianças e adolescentes ao redor do mundo. E esse envolvimento é ainda maior quando se trata de redes sociais, cujo alcance se expandiu muito nos últimos anos com a popularização dos Smartfones. Mas quando se trata de mídias sociais em sala de aula, o assunto ainda é tabu e muitos professores abominam a ideia. A gente já comentou aqui no blog como você pode contar com a ajuda dessas ferramentas na sua aula e agora trazemos mais algumas dicas de como inovar com a ajuda dessas ferramentas.

Além do Google: Antes mesmo de aparecer nas buscas do Google as notícias circulam primeiro nas redes sociais. Você pode pedir para os seus alunos acompanharem um episódio com o auxílio da hashtag.

Entrevistas: Com a ajuda das redes sociais você pode conseguir palestras e entrevistas com pessoas bem interessantes que vão tornar a sua aula muito mais rica.

Interação e colaboração: Alunos e professores podem criar conteúdo nas redes e convidar outras pessoas com o mesmo interesse a interagir, opinar e colaborar de diversas formas aumentando a qualidade do projeto.

Grupos Online: Quando uma turma está envolvida em um mesmo tema, é possível criar grupos de estudo e discussão e incluir pessoas de relevância, como especialistas, que contribuam com a troca de conteúdos e informações, motivando os alunos.

Apresentações: Criar um banco de apresentações e vídeos online sobre temas variados que ajude a fomentar a troca de informações e referências entre os alunos. Pode-se também pedir aos alunos que disponibilizem suas apresentações a outras turmas.

Debates do virtual para o real: Iniciar debates nas redes sociais com alunos e estimulá-los a pesquisar informações para embasar suas respostas em um debate real na sala de aula, pode ser uma forma de enriquecer as discussões.

Senso crítico: É possível encontrar muita informação nas redes, e isso é uma forma de estimular seus alunos a ter senso crítico, tolerância com opiniões contrárias e discernimento na hora de usar um conteúdo como verdadeiro.

Estudar, revisar, testar e compartilhar: Existem várias plataformas onde é possível usar redes sociais na escola. Uma dessas plataforma é a ExamTime, como ela você pode criar gratuitamente, fichas de memorização, testes, mapas mentais, notas online, grupos de estudo e ainda compartilhar tudo isso em outras plataformas ou com os colegas. Também é possível acessar a biblioteca virtual, que possui milhares de recursos criados por outros alunos e professores.

Professor inova e usa Facebook para ensinar história

Você é professor de História e está difícil prender a atenção dos seus alunos? Então se inspire no exemplo desse professor que foi buscar nas redes sociais a solução para prender a atenção dos seus alunos.

O professor Pedro Henrique Castro, do Rio de Janeiro, fez seus alunos participarem mais das suas aulas usando o Facebook como ferramenta principal. Ele pediu para que os alunos imaginassem como seria o Renascimento Artístico e Cultural se houvesse Facebook naquela época, o que essas pessoas postariam, como interagiriam?

O resultado foi surpreendente e os alunos realmente se engajaram na proposta. O professor dividiu a turma em dois grupos e cada um foi convidado a criar uma página na rede social de algum personagem desse período tão fundamental e importante da história. Depois eles teriam que produzir posts e comentários sobre a vida do personagem da página, mas sem perder de vista a sua própria realidade, relacionando passado e presente.

As turmas adoraram a ideia do professor, que deu a elas toda a liberdade para abusar da criatividade e do humor. Pedro conta que todas as suas expectativas foram superadas: “Eu me considero um cara otimista, mas sempre me surpreendo com o resultado. E não deveria, pois está mais do que claro o que a criatividade e capacidade das(os) nossas(os) estudantes podem atingir quando lhes é dada a oportunidade de se expressarem”.

Confira a seguir alguns resultados dessa experiência pedagógica super conectada ao mundo da galera:

Andaime

Caraca-mlq-que-teto

Cérebro

Selfie-2

Fonte: Razões para Acreditar

Entenda por que usar o Twitter na sala de aula pode ajudar no ensino dos seus alunos

Embora as novas tecnologias e a internet já façam parte da sala de aula do século XXI, alguns professores ainda se sentem inseguros em inseri-las nas suas turmas para tentar propor atividades inovadoras, que saiam dos exercícios presentes nos livros didáticos. No entanto, tanto os aparelhos quanto a rede podem ser ferramentas com potencial educativo, uma vez que você pode usá-las para desenvolver um processo de aprendizado mais ativo, em que os próprios estudantes são responsáveis pela construção dos conceitos da sua disciplina.

O Twitter, por exemplo, pode ser uma ótima ferramenta para ser usada em sala de aula. A rede social, que existe desde 2007, é ultra rápida e por lá é possível se informar sobre praticamente tudo, em tempo real, inclusive com fotos e vídeos. Mas como o Twitter pode ajudar a ensinar os seus alunos? Vamos a algumas dicas:

– Diferentemente do que muitas pessoas costumam pensar, esta não é uma rede social em que você somente posta pequenos relatos sobre o seu dia. Na verdade, este tem sido um modo interessante de se informar sobre os últimos acontecimentos do Brasil e do Mundo.
– Basta lembrar que a notícia do ataque que causou a morte de Osama Bin Laden foi narrada, pela primeira vez, no Twitter ou ainda que ele serviu durante a Primavera Árabe como uma das grandes plataformas de organização social.

– Faça com que seus alunos questionem as informações que leem, afinal, nem tudo que está no Twitter é de fonte confiável. Essa rede social é apenas um meio de ter acesso a novos conteúdos que estão disponíveis para os usuários da internet, mas que exigem uma leitura mais aprofundada como os jornais e o próprio livro didático.

– Se você tiver uma página para o curso no Twitter, por exemplo, você pode compilar seus tweets usando hashtags para identificar a matéria, de modo a facilitar a navegação dos alunos. A partir dos seus compartilhamentos, os estudantes poderão desenvolver tanto um processo de aprendizado passivo, isto é, a leitura e assimilação dos conteúdos, quanto interagir com o que você postou, acrescentando informações ou tirando dúvidas.

– Abuse das hashtags. Usando uma, que esteja relacionada com o conteúdo aprendido em sala de aula, o estudante pode debater o assunto não somente com seus colegas, mas também com outros jovens que também estão aprendendo aqueles conceitos e temas. Assim, cria-se a possibilidade do aprendizado colaborativo, extrapolando as limitações físicas da sala de aula.

Em resumo, o Twitter pode ser adequado ao ambiente escolar, basta seus usuários utilizarem para o fim que acharem mais conveniente, como qualquer rede social ou dispositivo eletrônico. Por isso, não tenha medo de propor uma atividade diferente. Veja se sua escola tem uma conexão boa com a internet e se todos os alunos têm acesso a aparelhos celulares ou computadores e faça uma experiência. Pode ser interessante para você e seus alunos saírem do formato mais tradicional de ensino.

Fonte: Universia