Conexão Xalingo – Blog

Tag - quarto ano

Professora estimulou os alunos a colocar a mão na massa

Vera Ligia de Campos Henrique é professora de ensino fundamental no Colégio Genius, em Campinas/SP e propôs a utilização de plataforma digital para trabalhar conteúdos de ciências com turmas do primeiro ao quinto ano.

Vera já tem mais de 20 anos de “casa”, com grande experiência em livros didáticos e apostilas, então trabalhar com uma plataforma digital, foi um novo desafio. Mas já nas primeiras aulas, a professora percebeu que os alunos estavam se envolvendo e participando das atividades.

A plataforma CLOE trabalha com a aprendizagem ativa, colocando o aluno no centro do processo. Por lá, é possível percorrer diferentes expedições que integram projetos, conteúdos e atividades práticas para trabalhar de forma significativa.

“Antes do fechamento das escolas, cada uma das minhas turmas estava participando de uma expedição. No quarto ano, por exemplo, estávamos percorrendo uma trilha que apresentava muitas experiências e estimulava momentos de interação entre os estudantes”, salienta Vera.

Quarto ano

A expedição do quarto ano falava um pouco sobre gastronomia molecular, transformações físicas e energia térmica. Além de trabalhar os conteúdos propostos, foram realizadas muitas atividades em sala de aula que estimulavam a reflexão dos estudantes, como experiência de observação de como a água passa do estado sólido para o estado líquido.

“Quando começou a quarentena, apesar de já estar trabalhando com uma plataforma digital, tive que fazer adaptações das aulas porque elas exigiam muitos momentos de interação e trabalho coletivo. Para dar continuidade aos conteúdos, passei a fazer algumas experiências na minha casa e também pedi para que os estudantes tentassem reproduzir com as suas famílias”, afirma Vera.

Resultados das experiências

Durante as últimas semanas, puderam observar o que acontecia com o mingau armazenado em potinhos, fizeram chá e até “geladinho” de vários sabores. “Compartilhamos receitas e tivemos um tempo para descrever como cada um fez na sua casa. Essa parte prática foi muito divertida, e os estudantes se engajaram muito”, completa a professora.

Segundo Vera, faltam três aulas para concluir essa expedição, mas ela já percebe que os estudantes estão envolvidos com o conteúdo. As experiências chamaram muito a atenção da turma, que consegue lembrar de diferentes atividades e conteúdos que foram trabalhados.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte: https://porvir.org/longe-do-laboratorio-turma-de-fundamental-1-pratica-ciencias-na-cozinha/

Estas professoras do fundamental 1 estão engajando os alunos à distância

Com passeio pela NASA e construção de foguete, atividade remota é feita com metodologia da sala de aula invertida para trabalhar sistema solar com turma do quarto ano.

Quando começou a quarentena, as professoras Laís Amorim e Mayara Lopes Schmidt precisavam dar a continuidade ao trabalho que estavam desenvolvendo com seus alunos do quarto ano do ensino fundamental da Escola Projeto/Lápis de Cor, em Curitiba (PR).

Para isso, elas trabalharam com o conceito de sala de aula invertida, planejando uma expedição virtual e incentivando a turma a colocar a mão na massa.

“Como prevê a metodologia da sala de aula invertida, as curiosidades, os conteúdos e os slides foram enviados para eles estudarem antes. Quando nos reunimos ao vivo, aproveitamos esse momento para consolidar o que eles aprenderam, debater e fazer experiências. A intenção era instigar os alunos a procurarem informações e utilizarem a ferramenta que tínhamos apresentado de exploração virtual”, afirmam.

Nesta aula, a princípio elas produziram um roteiro para as crianças. Gravaram um vídeo explicativo sobre a atividade e também falaram de algumas curiosidades relacionadas ao conteúdo, tais como quem foi o primeiro homem que pisou na lua ou como os astronautas dormem.

Antes da aula também elaboraram um convite personalizado para despertar o interesse dos alunos. Fizeram os slides e todos os materiais gráficos no site Canva Design, que oferece alguns templates fáceis de personalizar.

“Durante a aula, utilizamos uma ferramenta de videoconferência para fazer um passeio virtual com os alunos no site da NASA, a agência espacial dos Estados Unidos. Nós visitamos um laboratório de propulsão, local onde são construídos os motores dos foguetes, e acompanhamos toda a exploração ao lado dos alunos para deixar a atividade mais lúdica, além de enviar um link para que pudessem depois continuar sozinhos ou com as famílias”, salientam.

Concluída a exploração virtual, lançaram a proposta de construir um foguete de materiais recicláveis com os alunos. Com essa atividade, conseguiram trabalhar formas geométricas, sistema solar, exploração espacial, meios de transportes, inglês, entre outros conteúdos.

No total, a aula teve quarenta minutos de duração. Durante os dez minutos iniciais, fizeram o passeio virtual e em seguida começaram a construção do foguete.

“Como foi a nossa primeira experiência, ainda estávamos nos adaptando. Ficamos com medo de não funcionar a internet na hora, então já elaboramos um plano B caso não fosse possível explorar o laboratório da NASA com os alunos. Já tínhamos separado um material com as instruções e o link para eles acessarem depois em casa”, disseram.

Com a aula, os alunos puderam notar a conexão de conteúdos que estavam estudando com a vida deles. Além de aprender a usar novos recursos digitais, eles também acabaram descobrindo que vários itens que utilizam hoje foram desenvolvidos para viagens espaciais.

E para ficar por dentro das últimas novidades da Xalingo Brinquedos, inscreva-se em nosso canal no Youtube.

Fonte: https://porvir.org/com-passeio-pela-nasa-e-construcao-de-foguete-professoras-engajam-alunos-do-fundamental-1/